Serkat | CAE aprova texto para regularização tributária de empresas do Simples
 



NOTÍCIAS NOTÍCIAS
Veja também:

Como tirar alvará de funcionamento
Melhores práticas de gestão financeira que todo empreendedor precisa conhecer
Entenda de forma simples como apurar lucro de um negócio
Abra sua empresa sem preocupações
Margem de contribuição: entenda o que ela representa no seu negócio
Como ser estratégico na escolha da localização do seu negócio
Senado discute reabertura de programa que refinancia dívidas com a União
4 Ps do Marketing: entenda o que são e como podem ajudar na sua estratégia
Previsão de vendas: entenda o que é e as vantagens de aplicar no seu negócio
5 cargos em finanças que estão em alta em 2021

Veja Mais +

CAE aprova texto para regularização tributária de empresas do Simples
Data da publicação: 16/03/2020
O senador Luiz Pastore é um dos autores do projeto, que retirou trechos de medida provisória que devem ser aprovados em projeto de lei complementar

Foto: Geraldo Magela

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou, nesta terça-feira (10), projeto que regulamenta a possibilidade de as empresas enquadradas no Simples Nacional fazerem transações tributárias. O texto do Projeto de Lei Complementar (PLP) 4/2020 agora segue com pedido de urgência para análise em Plenário.

A transação tributária é uma negociação entre contribuintes e a União para regularização de débitos fiscais e a resolução de conflitos. Já o Simples Nacional é um regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos para microempresas e empresas de pequeno porte, ou seja, um regime simplificado para o pagamento de tributos.

O projeto foi apresentado pelo senador Luiz Pastore (MDB-ES) e pelo deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), respectivamente presidente e relator da comissão mista da MP 899/2019, que regulamenta a transação tributária prevista no Código Tributário Nacional (Lei 5.172, de 1966). A MP foi aprovada na comissão mista em 19 de fevereiro e aguarda votação na Câmara dos Deputados.

O senador Jorginho Mello (PL-SC), relator do projeto na CAE, explica que permitir a transação tributária para micro e pequenas empresas exige edição de lei complementar para sua regulamentação. Por isso, não podia ser tratada no texto da medida provisória.

Caso o instituto não seja regulamentado para aplicação ao Simples Nacional, somente 30% das empresas poderão fazer transação tributária. “Não é lógico regular o instituto da transação tributária, mais de cinco décadas depois de sua previsão no Código Tributário, e deixar de fora a maioria das empresas em atividade no país”, argumenta o senador, que propôs apenas um ajuste para melhorar a redação do projeto.

 

Fonte: Agência Senado

 

Comentários





Redes Sociais

Serkat
Rua Rui Barbosa, N. 149
Centro - Lages - SC
Fone/Fax: (49) 3222 1826
contato@serkat.com.br

Procon
Serkat Site Seguro Google
Estúdio Sul